domingo, 30 de agosto de 2009

MÃOS CALEJADAS


Beijo as tuas mãos calejadas, lindas e desajeitadas
que não consigo descrever.
Amo as tuas mãos maltratadas, que me dão tanto
prazer quando acaricias o meu corpo e me fazes
estremecer.
Quando me afagas, as tuas mãos calejadas, de veludo parecem ser tal a meiguice que deixam transparecer!!!
Mãos castigadas pelo trabalho árduo que lhes compete fazer, ásperas no olhar e tão suaves no sentir, mãos que me fascinam e sem forçar me dominam percorrendo devagarinho todo o meu ser. Amo as tuas mãos honestas e abençoadas capazes de dar mimo e protecção sempre prontas a ajudar e a fazer uma boa acção.
Olho as tuas mãos, nelas vejo o teu enorme coração que querendo parecer bruto, se derrete todo quando leva uma criança pela mão.
Mãos habilidosas que tudo sabem fazer, nelas fico vidrada e por elas estou apaixonada.
Obrigada por lhes pertencer!!!!!

F.Campos

2 comentários:

lia disse...

Mãos marcadas pelo tempo como se fossem tatuagens da vida, quando ainda são capazes de gestos de carinho, valem pelo inteiro ser.

Sônia disse...

Minha querida amiga q poema lindo, ele me tocou profundamente.
Gosto muito do teu estilo de escrever...
Um grande abraço e uma ótima noite.