sábado, 26 de setembro de 2009

SOBE O PANO!

Betty Bop-2620


REPARO NOS TEUS OLHOS CINZENTOS
QUE ME GELAM O SANGUE...

SINTO QUE ME DESPES, ME ACARICIAS QUE ME PERTURBAS...
PENETRAS COMO UM INTRUSO NO MEU PENSAMENTO...
FICO EM ÊXTASE POR UM MOMENTO.
RASGA-SE A NÉVOA QUE ME EMBRUTECE AS IDEIAS...
SINTO O BORBULHAR DESTE POBRE CORAÇÃO...
NUM BATER ACELARADO E APAIXONADO.
ÉS O ENVIADO O ESPERADO...
AQUELE QUE SEMPRE DESEJEI.
FINALMENTE ENTRO EM ACÇÃO...
FECHO AS CORTINAS E DOU PRIORIDADE AO AMOR!!!
NÃO QUEIRAM SABER MAIS POR FAVOR.

F.Campos

terça-feira, 22 de setembro de 2009

O MEU TEATRO



Neste teatro da vida, onde me encontro inserida...
Visto roupagens de vários feitios e cores.
E numa panóplia de sabores...
sobressai o sabor amargo das desditas e desamores...
Nesta companhia de bailados, sinto o fel amargo que destila seu veneno.
Procuro algo que me anime, remexo baús nos bastidores
à procura de novos odores...
E para de novo as luzes se acenderem, a plateia deste teatro
terá que encher e que os aplausos ecoem nesta sala da vida
quando eu morrer!!!
.
" Últimas pancadas"
.
As bilheteiras estão encerradas...
A peça está atrasada porque a actriz está apaixonada...
Não saiam por favor, mudamos os cenários...
Vamos ver cenas de amor...

F.Campos

sexta-feira, 18 de setembro de 2009

A MINHA TERRA



A terra onde nasci
É um encanto de verdade
Com o passar dos tempos
Passou de Vila a Cidade
.
No parque reina a frescura
Os limonetes são apreciados
Os eclaires tem muita procura
Mas os Jesuítas são os mais procurados
.
Rio que tinha beleza
Água clara que dava gosto
Agora é tinta pelas descargas
Que me causam tanto desgosto
.
Linda igreja conventual
A fonte dos cãezinhos a jorrar água
Belas estátuas nos jardins
O escudo da Cidade na relva molhada
.
Tem os bombeiros amarelos
Para a Cidade tranquilizar
Mas também tem os vermelhos
Sempre prontos a ajudar
.
Um lindo salão de chã
Onde dava gosto lanchar
Os jardins tão bem tratados
Onde as crianças podem brincar
.
Um lar para velhinhos
Hospital e Centro de Dia
Um campo de futebol
Que nos deu muita alegria
.
Minha Cidade querida
Tens o belo Hotel Cidnay
A famosa Escola Agrícola
Uma feira semanal
.
O ex-libris da Cidade
É o fogo preso junto à ponte
São lembranças que tenho
Frescas como a água da fonte
.
Esta é a minha Cidade
Desculpem a ousadia
Santo Tirso é afinal
A mais bela de Portugal

F.Campos

segunda-feira, 14 de setembro de 2009

OBRIGADA MEU DEUS



POR ME DARES UMA BRISA DE COISAS BOAS

PÔRES À PROVA O MEU AGRADECIMENTO

PELAS TRISTEZAS E DESGOSTOS

QUE ME FORTALECEM E ME DÃO ALENTO...

OBRIGADA PELO CLÃ FAMILIAR QUE ME OFERECESTE

POR ME DARES A OPORTUNIDADE...

DE ESCOLHER AQUELES, A QUEM OFEREÇO A MINHA AMIZADE.

OBRIGADA POR TODOS OS DIAS AO ACORDAR

ME SENTIR VIVA EM AMOR, RENOVADA EM GRATIDÃO

E PARA OS MEUS PEDIR A TUA BENÇÃO...

HOJE O MEU AGRADECIMENTO ESPECIAL...

O MEU SONHO RECEBEU O TEU TOQUE...

MEU CORAÇÃO SALTITA DE FELICIDADE...

ALGUÉM QUE ME É QUERIDO

ENTROU PARA A FACULDADE...

JOANA MULHER, CRIANÇA QUE TUDO MERECES
SE POR VONTADE DE DEUS, EU PUDESSE...
DAVA-TE O MEU VIVER
PARA NÃO TE VER SOFRER.

F.Campos

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

TALVEZ O SOL VOLTE A BRILHAR







QUERIA FALAR-TE DE AMOR.
MAS NESTE MOMENTO NÃO TENHO TEMPO...
OCORRE-ME UMA IDEIA E DE REPENTE FICO PARADA...
SEM PENSAMENTO.
SINTO QUE ESTE AMOR ESMORECEU...
DESPEDI-ME DO CALOR QUE ME AQUECEU.
SENTO-ME A UM CANTO E PENSO...O QUE ME ACONTECEU!
DO AMOR E PAIXÃO QUE ME SEDUZIU...
DESLIGO O BOTÃO E FICO APENAS EU...
PODE SER PASSAGEIRO? OU O AMOR MORREU!!
INCÓGNITA...NÃO ENCONTRO RESPOSTA...
RECOLHO-ME NA MINHA CONCHA...
HIBERNO POR TEMPO INDEFINIDO...
DESTA FRIEZA MOMENTÂNEA, NÃO QUERO TIRAR PARTIDO...
DE SAUDADE NÃO QUERO FALAR...
DE DESGOSTO NEM PENSAR...
TALVEZ O SOL VOLTE NO SEU ESPLENDOR...
E SE EU DE REPENTE ACORDAR DO SONO QUE ME CONFUNDE...
COMECE A FALAR-TE DE AMOR !!!

F.Campos

domingo, 6 de setembro de 2009

LÁGRIMAS DE CHUVA


OUVI RUÍDOS ESTRANHOS...
ASSUSTEI-ME E POR MOMENTOS, PENSEI...
SÃO PANCADAS A MARTELAREM OS MEUS SENTIMENTOS...
ENGANEI-ME PORQUE QUEM BATIA FORTEMENTE
ERA O MEU CORAÇÃO...
NÃO SEI SE DE MEDO OU ILUSÃO!!!
OS PASSOS QUE ME PARECEU OUVIR...
ERAM O VENTO QUE BATIA SUAVEMENTE NA MINHA JANELA...
PARECIAM OS BEIJOS ATIRADOS POR TI,
COMO PEDRINHAS MULTICORES... PARA ME ACORDARES
DOS MEUS PESADELOS E FAZER-ME LEMBRAR DOS MEUS AMORES!!!
MAS DESILUSÃO, DAS DESILUSÕES APENAS ERAM LÁGRIMAS DE CHUVA
QUE NUM CHORO DE LAMENTOS, CAÍAM PESADAS E BARULHENTAS...
ACOMPANHADAS E DE MÃO DADA COM O VENTO...
VIERAM ATORMENTAR OS MEUS PENSAMENTOS!!!!

F.Campos

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

DESABAFOS


QUE CULPA TENHO EU...
De querer o melhor do Mundo, para os que amo.
Se não vejo ambição e garra pela luta de melhorias e vejo suas vidas vazias...
.
QUE CULPA TENHO EU...
.
Se seus amores saíram frustados e foram por isso mal amados.
Numa vontade de a sorte mudar, quererem de novo recomeçar...
E a família sempre a aumentar!!!
.
QUE CULPA TENHO EU...
.
De incutirem na minha educação, que a mulher foi feita para tudo aguentar
não virar as costas ao azar, manter-se firme no seu lar...
Dar a outra face se a quiserem maltratar
.
E QUE CULPA TENHO EU...
.
De no meu regaço todos querer abraçar, sentir-me inútil por mais não poder ajudar...
Ter que rir, quando me apetece chorar...
.
TENHO CULPA...
.
De em mim não ter pensado, não ter um afago, porque estou só...
Mas com a alma leve pelo dever cumprido.
E quando à noite me deito o sono anda arredado, não há cachaça, vinho do Porto
ou vinho tinto seco que dê resultado!!!!!!
.
.
PS: Não bebo bebidas alcoólicas.

F.Campos

terça-feira, 1 de setembro de 2009

INSÓNIA (dois)


Bateu-me à porta aquela inimiga, que já não via há um tempo.
Aquela... a insónia!!!
Chata a fulana...Eu bem cerrava os olhos a fingir que não a via
mas ela parece que me perseguia.
Quero tirá-la da minha vida, mas é daquelas antas que se grudam...
Não mais nos largam, até às tantas...
Estou mesmo a ver que para dela me livrar, alguma mézinha vou ter que tomar
mas que chatice...isso quero evitar.
Esta história ainda vai dar muito que escrever...
Faz-se de convidada, entra sem dizer nada e eu é que fico a perder.
Mas vou arranjar uma saída para dela me livrar...
Dou-lhe um pontapé no trazeiro e ponho-a a andar.
.
.
Última hora:
Tenho a comunicar que por este andar volto ao assunto...
Raios partam a insónia que veio para ficar.

F.Campos