quinta-feira, 8 de outubro de 2009

EU ERA CRIANÇA


Que eu era criança ...
Ninguém se lembrava ...
No quarto ao lado...
Minha avó chamava.
Senti o frio que a atormentava...
Assim ela partiu sem dizer nada...
Que eu era criança, ninguém se apercebia...
Corre, vai pedir ajuda...
Eu enregelada corria corria...
Tarde demais... ela morria !!!
De nada valeu a correria...
Os pés descalços nada sentiam...
O gelo era tanto que me arrefecia.
Manhã de Janeiro muito fria...
Criança ainda eu chorava...
Ela partiu sem dizer nada...
Mas por muito tempo eu ouvia...
A sua voz que me chamava.
De negro me vestiram...
De negro me calçaram...
Que eu era criança eles não se lembraram.
E para sempre ficou gravado no meu pensamento...
A tristeza desse dia... de tanto sofrimento.
F.Campos

31 comentários:

Wanderley Elian Lima disse...

Kotta, aqueles que amamos nunca morrem, eles ficam vivos em nosso coração.
Beijos

Graça Pereira disse...

Ás vezes esquecem-se que somos crianças...elas não reparam...e tanta coisa fica marcada para sempre no seu coração.
Adorei esta "memória"! Um beijo .Graça

Judite (Dite) disse...

Oi amiga!
Mesmo sendo criança carregou o peso da tristeza, do sofrimento e da saudade, o que a tornou numa grande mulher!
Uma mulher de coragem!
Um beijinho,
Judite

Quintal das Rosas Decorações disse...

Nossa eu tenho tantas lembranças de quando criança, coisas que os adultos nem lembram mesmo uqe há crianças por perto... mais é linda esta memoria... lembro muito da minha avozinha... tb..

bjs
Mônica

Cris Tarcia disse...

Que lindo! Conta o sentimento de uma criança ao conhecer a perda. Lembro tanta coisa de quanto era criança, coisas simples mas que tem um valor pra mim especial.
Lindo post, parabens.

Beijos e muita luz e brilhos

Rosan disse...

Kotta.
eu tive uma esperiencia parecida, minha vó teve o primeiro derrma, e eu fui enviada ao vizinho que morava uns 2km, de casa para d pedir ajuda, ela não faleceu naquele dia, mas o medo que senti no caminho de uma estrada de interior totalmente deserta com 5 anos de idade eu nunca esquecei.

acho que com estas experiencias nos tornamos mais fortes.
um grande beijo.

Antonio saramago disse...

Viverão eternamente nos nossos corações e nosso cérebro nunca os apagará..

"Minhas Palavras" disse...

Toda perda dói, mas passa como o tempo e fica a saudade. Um dia em outra dimensão vc a abraçara.

beijos

Luciana disse...

Oi amiga bonito texto.
Uma excelente quinta.
Bjs

Fatima disse...

Tb tenho alguma recordações assim.
Belo texto amiga.
Bjs.

tossan® disse...

É impossível essquecer, como também ficará na minha memória tão bonito poema! Bj

Ángel Corrochano disse...

Bonita poesía llena de añoranza. Cuanto recuerdos me provoca. La imagen que la acompaña no podía ser mejor.
Un abrazo
Gracias por pasar y comentar por fotos que importan

lia disse...

Apetece colher em colo essa criança e contar histórias de fim de dia para lhe embalar o sono, fazer esquecer as lembranças mal disfarçadas por quem se esqueceu de se lembrar que ali estava não "apenas uma criança" mas "também uma criança"...

Na dor íntima, muitos se esquecem da dor alheia...

(Carlos Soares) disse...

Oh,amiga. Numa semana tão mágica,acabei recordando coisas tristes também. Beijos

Alvaro Oliveira disse...

Olá Amiga

Dada a dificuldade de ler no PC, passei a marcar minha presença e
desejar-lhe um bom fim de semana.

Beijinhos

Alvaro

Alvaro Oliveira disse...

Amiga

tem carinho para si em meu blog

"Coração Lusitano"-Amigo Verdadeiro

no cimo da barra lateral

Beijinhos

Alvaro

maria disse...

Eu tambem tenho dessas recordações, elas povoam paginas do livro da minha vida.
Um beijo minha amiga e peço desculpa pela falta dos meus comentarios no seu cantinho, especial para mim.
Sabe como é, o tempo não dá para tudo.
BEIJINHO.
MARIA

Emília Pinto e Hermínia Lopes disse...

A morte é a coisa mais certa que a vida nos dá; sabemos todos disso, mas não a aceitamos; ela traz sofrimento quando nos leva alguém que amamos. Para os adultos é difícil entender e aceitar a morte...imagine-se o que se passará na cabeça de uma criança!!!! No meio de tanta luta e sofrimento nem nos damos conta de que uma criança está presente, de que aquele momento é pior para ela; é normal que isso aconteça; na ansia de se salvar quem está indo, não nos apercebemos de certos pormenores. Gostei muito deste canto triste que, na sua tristeza mostra grande beleza. Um beijinho a até breve
Emília

Daniel Silva (Lobinho) disse...

Meu Deus, que terrível a experiência, ainda para mais numa idade que marca como que "mais" no limite do trauma.

sabes, também já nao tenho a minha Mãe, e penso que nisso somos todos crianças... abandonadas...

Um beijinho querida amiga, e que belo, que lindo, que fofinho URSINHO NO OLHAR DOCE E TRISTE DA CRIANÇA...

adoro ursinhos... sao eles que nos ajudam e embalam na tristeza nao é? Porque somos sempre crianças...

beijinho de coraçao a coraçao

as arteiras disse...

Tem coisas que nos acontece quando crianças e nos marcam profundamente. Hoje tentamos ter mais cuidado com as crianças, para que não passem por essas tristezas.
Tento ao máximo minimizar as coisas para minha filha. E as vezes, me pergunto se esse está sendo o procedimento correto, tentar fazer que não encarem desde cedo as coisas tristes.
Tenha um bom final de semana!
Bjs!!!
As arteiras

Andy disse...

Muito acolhedor este cantinho!
´Bjinho

♥ ♥ Eu disse...

As vezes esquecem q para as crianças tudo marca de forma muito intensa, mas tenho certeza q vc lembra tb com muito carinho.

mil beijos!

Pena disse...

Maravilhosa e Doce Amiguinha Poetiza:
Um poema soberbo de sensibilizar pela pureza.
É linda. Escreve deliciosamente, sabia?
Uma lição de vida que já registei com uma comoção imensa.
Adorável, a criancinha que não teve reciprocidade nos seus apelos e iniciativas.
Aqui, lida-se não só com a vida como com a morte. Assumidas e dignas de pureza aflita.
Fantástico, adorei.
É tudo tão puro e belo aqui. Extraordinário.
Já lhe disseram que tem um coração maravilhoso onde cabemos todos? Juntinhos uns aos outros.
O seu valor é de precioso ouro puro. Fabuloso e e imenso.
Parabéns sinceros. Adorei!
Senti-me absorver pela sua magia poética que enternece e cintila com intensidade.
Com respeito imenso, estima gigante e consideração sem equívocos.
Beijinhos amigos mil

pena

Bem-Haja, pela simpatia da sua terna e linda visita que adorei.
MUITO OBRIGADO, linda amiguinha.

Osvaldo disse...

Cara Kotta;

Quantos sentimentos de saudade e ternura nos transmite neste belo post...

Senti que é uma homenagem meiga e terna de amor a alguém que foi muito importante quando era criança e como tudo que é marcante nessa idade, as lembranças ficam para sempre... até ao dia do reencontro.

Gostei imenso do seu blog.

Osvaldo

Nely disse...

Olá amiga.
Como vê sua avó não partiu, ela continua em sua memória, mesmo sofrida.
Mas criança devia ser mantida à parte no processo morte, os corações mais pequenos não estão preparados para tanta dor.
Obrigado pela visita ao Arrepio na pele, mas acha mesmo que devo colocar barreiras? (Talvez algemas) rsrs.
Beijo amigo...com Arrepio na pele.

GRAÇA disse...

Bom dia querida amiga!
mais uma vez fizeste-me voltar a menina.....a primeira perda que tive foi o meu avô que tanto amor me dava eu com 3 anos nunca mais me esqueci dele,do amor que ele tinha por mim e que eu com os 3 anos tinha o meu primeiro amor a me deixar......
Mais uma vez me poens a chorar e olha que é dificil eu chorar por ler ......
Obrigada amiga virtual(acho que já te posso chamar amiga?)adoro tudo que escreves......
Então tambem tens gatos....são por vezes os nossos unicos amigos e sentem o nosso estádo de espirito,a minha pelo menos não me deixa se eu estou em baicho,tanto faz que me faz voltar a mim, a brincar com ela e esquecer o reto.
Beijinhos.
graça.

Helena Teixeira disse...

Penso que os meus avôs que me foram queridos e uma avó que morreu quando a minha mãe era nova,se tornaram anjos da guarda.Acredito que permanecem vivos algures e no nosso coração.

Jocas gordas
Lena
da Aldeia
e do Clube das Mulheres Beirãs

Sonia disse...

Perdi meus avós já mulher feita,mas guardo lembranças vastas de momentos de minha infância.
Imagino que uma ausência na vida de uma criança seja fotografada eternamente,mesmo.
Você ainda tem a sua criança dentro de si.
Me emocionei ao ler!
Bjsss...linda amiga!

Maria José disse...

Kotta. Que forma linda de falar!!! Triste, mas linda. Muitas coisas ficam marcadas na nossa vida, sejamos crianças ou não. Coisas que lembraremos para o resto de nossos dias. Mas aqueles que amamos ficam gravadas em nossa memória e em nosso coração para sempre. Eles vivem em nós. Beijos.

sonhos/pesadelos disse...

o corpo foi, mas a lembrança da sua aura ficou em si gravada em tons de dourado...
bjs endiabrados

(perdoe a ausência)

Milésimo disse...

Mais um episódio que desconhecia...

Mas que filho sou eu que não conheço nada da minha Mãe criança?

Bjs