terça-feira, 1 de setembro de 2009

INSÓNIA (dois)


Bateu-me à porta aquela inimiga, que já não via há um tempo.
Aquela... a insónia!!!
Chata a fulana...Eu bem cerrava os olhos a fingir que não a via
mas ela parece que me perseguia.
Quero tirá-la da minha vida, mas é daquelas antas que se grudam...
Não mais nos largam, até às tantas...
Estou mesmo a ver que para dela me livrar, alguma mézinha vou ter que tomar
mas que chatice...isso quero evitar.
Esta história ainda vai dar muito que escrever...
Faz-se de convidada, entra sem dizer nada e eu é que fico a perder.
Mas vou arranjar uma saída para dela me livrar...
Dou-lhe um pontapé no trazeiro e ponho-a a andar.
.
.
Última hora:
Tenho a comunicar que por este andar volto ao assunto...
Raios partam a insónia que veio para ficar.

F.Campos