segunda-feira, 12 de outubro de 2009

AI SE OS MEUS DEDOS FALASSEM

Não tenho direito de maçar os meus amigos/as, que fui conquistando através do meu blog.
Mas tenho obrigação de dar uma explicaçãozinha, para sossego da minha consciência.
Talvez seja pirosice mas tudo que escrevo é da minha autoria e com os poucos conhecimentos
que tenho sobre poemas, versos e afins, este é o meu jeito de escrever.
Pode até não ser muito fashion o meu blog, mas que é verdadeiro, ai isso é !!!
Desculpem mas resolvi abrir o meu coração (pensei duas vezes se não seria melhor ir
confessar-me mas é mais seguro assim.
Como têm oportunidade de ler, a minha vida não tem sido fácil mas, tudo tenho ultrapassado,
não posso contar tudo ao pormenor porque iria aborrecer-vos, mas de uma coisa tenho a certeza, desde que fiz o blog, funcionou como um banho de luar e sinto-me radiante interiormente
porque estou a arrumar as gavetas que estavam fora do sítio, era uma desarrumação tal nos meus pensamentos, que cada vez que escrevo os meus textos, sinto uma paz tão grande que me assusta.
Às vezes pergunto a mim mesma, será que Deus quer que eu arrume tudo, para a partida
ser mais suave? Apesar de não ser velha (sim porque velhos são os trapos) já cumpri as
tarefas que me foram impostas, porque a vida pede-me provas e mais provas, mas considero-me
um ser humano razoável. Como eu gostava de escrever um livro, mas tenho tendência para o choradinho mas isso só a mim me faz bem, não quero traumatizar ninguém.
É verdade que a criança que existe dentro de mim, não apaga os momentos que ficaram registados no meu pensamento, mas tenho uma boa parte de boa disposição (leia-se sou divertida) às vezes não deixo transparecer a dor que me atormenta a alma, porque por muito
esforço que faça não esqueço a infidelidade, o egoísmo a prepotência e a falsidade que me marcaram como um ferrete.
Tenho uma força que me prende à vida, às vezes com mais ou menos desânimo, mas sempre com rectidão.
Por hoje chega o banho de luar foi mais longo, a todos que me lêm,continuem a ser meus amigos/as porque são vocês que me dão ânimo.
Vou continuar até que os dedos me doam. Beijinhos para todos chuac chuac chuac chuac.

Qualquer dia vou escrever mais para vos castigar. Vivam a vida o melhor possível.


F.Campos