segunda-feira, 8 de novembro de 2010

SINTO-ME GELAR


Sinto-me gelar, não compreendo...
Será a tua falta ou deixei de te amar.
Sentir as tuas mãos, é o que mais desejo
E nesse afago eu procuro
O calor do teu amor e a ternura de um beijo.
Sinto-me perdida.
Triste como um Outono chuvoso...
Numa ventania de sentimentos...
Recordo aqueles momentos... carente eu corria para os teus braços...
Como criança a precisar de mimos...
Entregava-me a ti e tudo queria, era amor o que sentia.
Sinto-me gelar...
No meu peito mora a agonia e a inquietação.
Choro na solidão, mas isto passa um dia...
Estou carente, vivo rodeada de gente...
Estou só, preciso da tua companhia.

F.Campos